Ex-Pink Floyd acusa "insanidade" do governo norte-americano contra o povo venezuelano e denuncia interesse no petróleo. Trump diz que envio de militares à Venezuela "é uma opção".

O músico britânico Roger Waters divulgou neste domingo (3) uma mensagem contra o que chamou de tentativa de golpe dos Estados Unidos para derrubar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Pelo Twitter, o ex-Pink Floyd reforçou a convocação de um protesto marcado para ocorrer nesta segunda-feira (4) em Nova York contra a ingerência do governo norte-americano. 

Segundo Waters, trata-se de uma "insanidade" do governo norte-americano, que quer destruir a "real democracia" venezuelana para que a elite formada pelo 1% mais rico possa "pilhar" o petróleo daquele país. "Estados Unidos, tirem as mãos", tuitou o músico, acompanhado da hashtag #StopTrumpsCoupInVenezuela. 

Também no domingo, o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que o envio de militares à Venezuela "é uma opção". Em entrevista a rede de TV CBS, Trump disse que Maduro teria solicitado uma reunião, mas o pedido foi recusado pelo norte-americano, "porque estamos muito longe no processo". 

Há cerca de duas semanas, o presidente da Assembleia Nacional, Juán Guaidó, se declarou presidente interino da Venezuela, recebendo o apoio dos Estados Unidos, além de Brasil, Canadá e Argentina. Nesta segunda, Guaidó também foi reconhecido como interino por Espanha, Alemanha, Reino Unido, França, Suécia, Dinamarca, Áustria, Holanda e Portugal. Por outro lado, Maduro conta com o apoio de países como Uruguai, Rússia, China, Turquia e Irã. 

No domingo, Maduro rejeitou o ultimato dado por europeus para a realização de novas eleições presidenciais. "Por que a União Europeia tem que dizer a um país do mundo que já fez eleições que deve repetir suas eleições presidenciais, por que não foram vencidas pelos seus aliados de direita?", questionou o presidente venezuelano, em entrevista à TV espanhola La Sexta.  

Na segunda-feira passada (28), o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, acusou os Estados Unidos e parte da comunidade internacional de estar marchando por uma investida golpista.  "Estados Unidos não estão por trás das tentativas de golpe. Estão à frente", afirmou.


Foto: WikiCommons

0 comentários:

Propósito

– Apoiar a Revolução Bolivariana, a qual tem provado incessantemente a sua natureza democrática, na luta para libertar os oprimidos da Venezuela.

– Defender a Revolução contra os ataques do imperialismo e dos seus agentes locais, a oligarquia venezuelana.

– Rebater as distorções e as mentiras da comunicação social acerca da Venezuela e mobilizar o máximo de apoio possível na defesa destes pontos.

Evento:

Assine a petição:

Seguir por e-mail

Hands Off Venezuela

Arquivo

Com tecnologia do Blogger.