O desenvolvimento do modelo produtivo da economia socialista venezuelana, projecto impulsionado pelo Governo Nacional para garantir a distribuição equitativa das riquezas, não depende das receitas petrolíferas que se registem no país, destacou nesta quarta-feira o ministro do Poder Popular para a  Economia e Finanças, Alí Rodríguez Araque. 

“A política socialista da economia nacional não depende dos preços do petróleo ou se o país tem muitas ou poucas receitas, pelo contrário, poucas receitas deveriam ser suficientes para impulsionar um esquema de distribuição da riqueza distinto do que se aplicava com as políticas tipicamente capitalistas implementadas por governos da IV República”, disse. 

Durante a sua participação no programa Entre Periodistas, que é transmitido pela Televen, Rodríquez Araque insistiu em que, para o impulso do socialismo, a Venezuela conta com recursos como os reservados no Fundo de Desenvolvimento Nacional (Fonden) e que, portanto, as receitas recebidas  através do petróleo não marcam o passo do modelo socialista. 

“Recordemos que desde os cinco anos de existência que tem o Fonden se investiram cerca de 57 mil milhões de dólares que estão comprometidos em projectos de infra-estruturas de carácter produtivo, isto é, que estes projectos se sustentarão graças a que se conta com esses recursos”, sublinhou.

Ao mesmo tempo, o titular das finanças públicas assegurou que, a par do plano socialista estatal, o sector privado da economia joga um papel fundamental, pois o modelo económico crioulo encontra-se num processo de transição que envolve ambos os actores para a construção de uma economia justa. 

Nesse sentido, enfatizou: “Na Venezuela há uma política económica com um sinal social, então se o sector privado está de acordo com isso seria bom desenvolver diálogo. Mas, sem dúvida, é necessária a incorporação da economia privada no desenvolvimento do aparelho produtivo do país”. 

Finalmente, Rodríguez Araque afirmou que a tarefa que o Governo Nacional tem pela frente é o lançamento de uma nova fase estratégica da economia que tem a ver, em princípio, com a resolução do problema da produção de alimentos no país e o desenvolvimento da agricultura para a expansão do mercado.

Publicado originalmente em 26 de Fevereiro de 2009.

0 comentários:

Propósito

1 – Apoiar a Revolução Bolivariana, a qual tem provado repetidamente a sua natureza democrática, na luta para libertar os oprimidos da Venezuela.

2 – Defender a Revolução contra os ataques do imperialismo e dos seus agentes locais, a oligarquia venezuelana.

3 – Apoiar a nova confederação sindical, UNT, como sendo a legítima voz do movimento trabalhista.

4 – Rebater as distorções e as mentiras da comunicação social acerca da Venezuela e mobilizar o máximo de apoio possível na defesa destes pontos.

Seguir por e-mail

Hands Off Venezuela

Arquivo

Com tecnologia do Blogger.